E lá vamos nós… Primeira cirurgia corretiva

No dia anterior ao procedimento, enquanto arrumava a nossa malinha para o hospital, derramei várias lágrimas. Era um estranho sentimento de querer que tudo aquilo passasse logo, junto com uma vontade imensa de fugir com filho e não aparecer no hospital… Uma coisa muito sufocante, pensava que parecia até injusto ele ter que passar por tudo isso, as vezes até me culpava. Mas eu acredito que todos aqui na Terra tem alguma missão: a minha era cuidar dele e proteger ele até onde puder, eu tenho certeza disso; e a dele era iluminar a minha vida e me ensinar a passar por tudo isso junto com ele, nos ensinar a ser fortes, e nos ensinar que temos que sempre escolher o que for  melhor para ele. E a cirurgia, era o melhor para ele, eu não tinha opção, mesmo negando – enquanto escrevo, caem algumas lágrimas.

Na mala, algumas trocas de roupa,  não muitas já que ele deveria ficar apenas um dia internado. E muito importante: nessa primeira cirurgia separei somente roupinhas com abertura na frente, para que não machucasse os pontos do rosto de jeito nenhum. Coloquei junto meus amuletos de sorte, meu São Jorge guerreiro e meu escapulário, me sentia mais segura.

O post hoje é grande, viu? Chegando lá, dei a última  mamadeira antes do procedimento (seriam 3 horas de jejum), e lá ficamos aguardando até que nos chamaram… A cada passo, o frio na barriga aumentava. Quando entramos somente eu e o Théo na salinha do pré-operatório, aí sim tremia muito. À partir dali era só comigo, eu deveria ficar com ele, e depois levar ele até a sala da cirurgia. Tirei a roupinha dele, coloquei um fofíssimo avental de bebês, e ele aliviava tudo isso rindo muito para mim, ele sentia o meu nervosismo e acho que tentava amenizar.

Depois da anestesista e assistente virem nos dar as instruções, não demorou muito e a enfermeira veio nos buscar… Eu não queria soltar ele. Mas eu deveria fazer isso, levei ele no meu colo até a sala, e lá fiquei, até que a anestesia fizesse efeito. Chorando muito. Pedi que me tirassem de lá, não poderia mais ficar em pé…

Enquanto esperava as 3 horas de procedimento, me agarrei no meu São Jorge, na minha família… Foram minutos muito difíceis, talvez os piores da minha vida. Mas não vou me estender contando essa parte angustiante, e vamos direto para a parte em que o cirurgião, nosso anjo, veio sorrindo nos dizer que acabou, e ELE ESTÁ BEM! Meu deus… nunca pulei tanto, abracei o médico. Consegui respirar novamente. Agora era só esperar eu poder receber ele na recuperação, e dar todo amor e carinho que ele merecia!

2 Comments E lá vamos nós… Primeira cirurgia corretiva

  1. carina Barth

    Não tem como não se emocionar .Estou em prantos aqui. Sei exatamente o que passou .

    Reply
  2. Kátia

    Como tu disse Pri, o melhor de tudo é ouvir o médico dizer :”ele está bem”! Aí, choramos de alegria, de alívio! E, agradecemos!

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>